JavaScript não é Java

JavaScript não é Java

A CONFUSÃO

Para quem desconhece ou não é tão familiarizado com o assunto imagina que se trata praticamente dos mesmos assuntos, quando a temática Java x JavaScript é abordada, mas a realidade é bem diferente, pois se tratam de dois assuntos distintos. Enquanto um trata somente de interfaces para web, o outro é utilizado para inúmeras outras funcionalidades. 

Bem para entendermos melhor vamos definir logo de vez. Enquanto o Java é uma linguagem de programação orientada ao objeto e pode ser incrementada para diversos fins, o JavaScript é um tipo de linguagem procedural mais voltada para web, e embora possamos realizar simulação de uma orientação a objeto no JavaScript, ela não apresenta algumas funções do Java, como declarar classes ou implementar interfaces. 

Bem o JavaScript surgiu na década de 90 pela empresa Netscape, bem no período de evolução dos Browsers, e seu nome passou por algumas etapas de “decisão” para então se consolidar como JavaScript, em síntese podemos dizer que ele foi escolhido para evitar problemas de patente, empresariais e de popularização, decorrente da concorrência com o próprio Java. Portanto não confunda ao falar sobre JavaScript. Ele não é a mesma coisa que o Java, muito menos uma parte dele.   

SEU FUNCIONAMENTO

Inicialmente o JavaScript foi desenvolvido com o objetivo único de validar formulários HTML, no entanto com seu desenvolvimento ele foi evoluíndo para se tornar uma linguagem “client-side”, que ao invés de rodar remotamente na internet ele roda programas localmente. O JavaScript se utiliza de uma uniformização das linguagens de scripts, fazendo com que os navegadores consigam interpretar os scripts da mesma forma. Nas páginas web ele fornece a possibilidade de programação, transformação e processamento de dados enviados e recebidos, juntamente com a marcação e integração de conteúdos em HTM e a estilização através do CSS.  

Após escrever códigos em JavaScript e executá-los em um navegador podemos, por exemplo, atualizar, nem que seja apenas uma parte, de uma página web, sem necessariamente precisar carregá-la totalmente após o preenchimento de um formulário. Com a utilização do JavaScript pode-se desenvolver inúmeros softwares, totalmente funcionais e completos, para diversas finalidades. Um bom exemplo a citar, que utiliza-se do JavaScript é o GoogleDocs, que não funcionaria sem a linguagem.

NO MERCADO

O mercado para os desenvolvedores que utilizam o JavaScript parece bem atraente, principalmente por lidar diretamente com a evolução da internet e de suas constantes atualizações, além da possibilidade de se trabalhar com o universo mobile que só aumenta a cada dia. Uma base para programadores iniciantes que pretendem ingressar no mercado é um salário que, assim como algumas outras vagas para desenvolvedores de outras especialidades, pode começar por volta de 2 a 3 mil, e com a experiência pode ir até onde a sua conta bancária aguentar. 

Mas ela também é um tipo de linguagem que necessita de estudos constantes, não apenas pelas suas atualizações mas também por suas integrações com outros tipos de linguagens que pode aumentar ainda mais as possibilidades no momento de desenvolver os softwares. 

Um aspecto interessante, é que não necessariamente as variáveis no JavaScript precisam ser declaradas, por se tratarem de variáveis não tipificadas, ou seja, que não possuem tipos. 

ALGUMAS DICAS

Reunimos aqui algumas dicas que podem te ajudar, caso você ainda não domine por completo o JavaScript e deseja desenvolver um pouco mais suas habilidades: 

1 – Estude o básico, pratique muito e leia livros sobre o assunto. 

Não pule os conceitos básicos do JavaScript, eles são essenciais caso você queira evoluir, principalmente quando for se tratar da integração dele com outras linguagens/componentes. Você pode focar em variáveis, tipos de dados, funções e estrutura de repetição. Após os estudo comece a praticar, nem que seja tentando resolver algum problema de algoritmo por semana e depois ir diminuindo o tempo estipulado. E leia livros sobre o tema, por mais que você não goste da prática, os livros podem te auxiliar justamente no desenvolvimento dos conceitos básicos, além de terem sidos escritos por quem entende do assunto. 

2- Procure por programação assíncrona em JS e DOM. 

Entender a programação assíncrona também é essencial, já que o JavaScript faz bastante uso da mesma. Já o DOM é caso você queira entender melhor sobre a relação dele com o HTML e foca mais na parte de front-end. 

3 – Crie projetos.

Mesmo que seja apenas fictícios eles te proporcionarão a experiência que o mercado exige, além de contar também para o seu currículo. Diversos problemas reais do mercado podem ser resolvidos com soluções advindas desses projetos iniciais. 

4 – Entenda o POO no JavaScript. 

A programação orientada ao objeto no JavaScript pode se comportar de maneira diferente de outras linguagens, como #C, Java e PHP. Entender como a mesma funciona pode evitar confusões futuras no desenvolvimento de algum projeto. 

5 – Foque em um framework/lib. 

Após saber o básico é importante que você também domine algum framework/lib. Há vários no mercado, mas ao se escolher um como foco de estudo fará com que você fique um passo a frente dos demais programadores no mercado que não possuem esse conhecimento específico. 

Esperamos que você tenha entendido o que realmente é o JavaScript e como ele pode ser trabalhado. Sua atuação pode contribuir de maneira muito significativa no desenvolvimento de inúmeros projetos, basta você descobrir a melhor maneira de aproveitar suas funcionalidades. 

Conta pra gente aqui nos comentários o que achou.

Comentarios

comments

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Converse conosco